3 de nov de 2009

Homenagem póstuma - 3/112009

Dia 3 de novembro de 1993 morreu na Rússia o gênio conhecido no ocidente por Leon Theremin (Lev Termen). São, desde então, 16 anos desde que o homem que nos trouxe tantas oportunidades e alegrias se tornou imortal. Seu nome americanizado - Theremin - é também o nome do instrumento curioso, tocante e expressivo, que cativa milhares de músicos e apreciadores ao redor do mundo.



Resta em todos nós uma sensação de gratidão por ele ter dedicado sua vida a esse instrumento, dando-o de presente ao mundo sem medir esforços, em vez de simplesmente querer lucrar após patenteá-lo, ou transformá-lo em um segredo privado ou objeto exclusivista como ocorreu com a maioria dos instrumentos eletrônicos do início do século XX (que infelizmente só vamos conhecer nos livros de história da música, jamais pessoalmente).

"Theremin" não é apenas o nome de um inventor russo e de seu instrumento musical maluco - é um código que condensa um espírito de comunidade, generosidade e boa vontade, coisas que, parece que o inventor acoplou ao instrumento por todo o sempre, e transmitiu para as gerações futuras de thereministas - não somente os clássicos/eruditos. O theremin é uma construção social maravilhosa, tolerância à diversidade, desenvolvimento de sensibilidade musical, enfim, é muito mais do que uma caixinha com duas antenas fazendo sons fantasmagóricos. Devemos isso tudo ao Lev, ou melhor, ao Theremin com T maiúsculo.

Não foi a toa que no meu primeiro recital, a foto do cartaz não era minha, mas sim do Lev. Ele merece. A única coisa que nos pede é que não nos esqueçamos dele e de seu instrumento. Não esqueceremos, Lev!

Lev Termen será sempre lembrado, no nascimento e na morte, por tereministas de todo o mundo, não somente como um inventor ou um performer, mas como um grande espírito, grande alma, como quiserem - ou simplesmente como uma boa pessoa, pra soar menos religioso/mitológico.

Sempre que algum músico decide se tornar um tereminista, está homenageando a esse grande homem, ao levar avante seu nome num instrumento musical, tratando-o com respeito e dignidade como um instrumento de concerto, e não como um mero brinquedo ou uma geringonça pra aula de física.

Lev Termen, ou Leon Theremin, vive eternamente! Agora também no Brasil, no que depender de mim.

Um comentário: